Câncer de cabeça e pescoço – É possível prevenir

Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço

A Sociedade Brasileira de Câncer de Cabeça e Pescoço instituiu o JULHO VERDE no Brasil, onde o dia 27 de julho é amplamente conhecido como o Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço.

Quando observamos as previsões sobre o câncer de cabeça e pescoço, pensando no comprometimento de boca, orofaringe, laringe (cordas vocais), nariz, seios nasais, nasofaringe, órbita, pescoço e tireoide, e temos números elevados que pode chegar até 36.620 novos casos, sendo 19.480 em homens e 17.140 em mulheres (INCA 2022).

Os grandes vilões que conhecemos como fatores de risco para o câncer de cabeça e pescoço são o tabagismo, etilismo (cerca de 80% dos casos), a infecção por HPV, até mesmo a má higiene bucal e a desnutrição também são fatores associados.

Os sinais e sintomas da doença podem ser reconhecidos através de algumas alterações como o aparecimento de nódulo no pescoço, manchas brancas ou avermelhadas na boca, ferida que não cicatriza em duas semanas, dor de garganta que não melhora em 15 dias, dificuldade ou dor para engolir e alterações na voz ou rouquidão por mais de 15 dias. Estas são condições clínicas que podem ser semelhantes a outras doenças, por isso é importante uma avaliação médica específica.

O autoexame é uma ação importante, conhecer seu corpo e perceber as alterações nas estruturas da cabeça e do pescoço podem revelar doenças que podem ou não ser malignas, mas que precisam ser tratadas.  

Como realizar o autoexame?

1. Lave bem a boca, tire próteses dentárias (se fizer uso). Fique de frente para o espelho e olhe a boca, iluminando-a com uma lanterna. Apalpe as diversas regiões do céu da boca, língua, lábios e gengiva.

2. Observe a pele do rosto e do pescoço e veja se há algum sinal que você não tenha notado anteriormente. Toque delicadamente todo o rosto para sentir se há algo diferente.

3. Observe também se o seu rosto está com os dois lados do mesmo tamanho.

4. Puxe com os dedos o lábio inferior para baixo, expondo a parte interna (mucosa) e veja se tem alguma mancha branca, avermelhada ou ferida. Em seguida, apalpe todo o lábio.

5. Agora puxe o lábio superior para cima, repita o mesmo procedimento feito no lábio inferior.

6. Com a ponta do dedo indicador, afaste os lábios e examine a parte interna da boca. Faça isso nos dois lados.

7. Com a ponta do dedo indicador percorra toda a gengiva superior e inferior à procura de algum incômodo.

8. Introduza o indicador por baixo da língua e verifique se há alguma ferida, nódulo ou incômodo.

9. Agora, incline a cabeça para trás e, abrindo a boca o máximo possível, examine o céu da boca. Passe o dedo indicador em todo o céu da boca. Em seguida, diga aaaaaaaaa, observe o fundo da garganta.

10. Coloque a língua para fora a observe se ela está mais esbranquiçada ou avermelhada em algum ponto ou se possui algum machucado. Sinta se algum local dói mais do que outros quando você passa o dedo. Observe os dois lados da língua.

Caso você note algo anormal, como partes esbranquiçadas ou avermelhadas e ferida que não cicatriza há mais de 15 dias, procure logo o especialista.

A importância em divulgar as ações de prevenção do câncer de cabeça e pescoço é para evitar possíveis complicações relacionadas ao tratamento, que possam levar a sequelas complexas como deformidades faciais (pós-cirúrgicos), feridas tumorais em região de face que possam surgir com o avanço da doença, indicação de dispositivos como traqueostomias, cateteres enterais, gastrostomias, entre outras. 

A enfermagem em estomaterapia participa ativamente da assistência a pessoas com feridas, estomias, incontinências, drenos e cateteres. Estamos cada vez mais presente junto à equipe multiprofissional na assistência as pessoas com estomias respiratórias (traqueostomia), de alimentação (gastrostomia) e cateteres, porém prevenir sempre será o melhor caminho.

Aprenda a conhecer seu corpo, cuide de você e tenha uma boa saúde!

Referencias

https://sbccp.org.br/julhoverde/autoexame-da-boca/
https://www.inca.gov.br/noticias/desafios-na-deteccao-precoce-e-no-tratamento-do-cancer-de-cabeca-e-pescoco-sao-temas-de

Adriane Aparecida Costa Faresin

Adriane A. Costa Faresin
Enfermeira Estomaterapeuta TiSOBEST
Diretora de Comunicação e Marketing SOBEST

pt_BRPortuguese