Sobest apoia a campanha “Janeiro Roxo – Todos Contra a Hanseníase”

A Sobest - Associação Brasileira de Estomaterapia: estomias, feridas e incontinências apoia, pelo segundo consecutivo, as ações de conscientização sobre o diagnóstico e o tratamento da hanseníase, organizadas pela Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH) durante o mês de Janeiro, em todo o país.

A doença afeta os nervos e a pessoa pode perder ou ter diminuição da sensibilidade ao toque, à dor, ao frio e calor, além de formigamentos e dormências. Podem surgir manchas avermelhadas ou esbranquiçadas na pele. Se for diagnosticada a tempo, as sequelas podem ser controladas e o paciente terá uma vida normal. Anualmente, são registrados perto de 30 mil casos da doença nos vários estados brasileiros e dentre as várias classes sociais, incluindo adultos e crianças. O Brasil ocupa osegundo lugar em registro de casos da doença no mundo, atrás da Índia.

A Presidente da Sobest, Profa Dra Maria Angela Boccara de Paula afirma que o enfermeiro estomaterapeuta atua na assistência do paciente com hanseníase, no cuidado e hidratação da pele, no tratamento de feridas e na conscientização sobre sua doença.

A doença tem cura, mas, se não diagnosticada e tratada a tempo, pode provocar sequelas irreversíveis. O tratamento para hanseníase é gratuito em todo o território nacional. Os exames de laboratório conseguem identificar menos de 50% dos casos, mas a SBH esclarece que o exame clínico é suficiente para o diagnóstico.

Área do Associado