Sobest e Ministério da Saúde buscam melhorias para a política de atendimento às pessoas com estomia

Integrantes da Diretoria da Associação Brasileira de Estomaterapia: estomias, feridas e incontinências se reuniram com a representante da Coordenação Geral de Saúde da Pessoa com Deficiência do Ministério da Saúde, Karina Guimarães, para conversarem sobre os avanços na política de atendimento às pessoas com estomia em todo o Brasil.

A reunião foi realizada na manhã de terça-feira (14/11), durante o XII Congresso Brasileiro de Estomaterapia realizado em Belo horizonte- Minas Gerais. Karina Guimarães destacou projetos em andamento no Ministério da Saúde e convidou a Sobest para ter participação efetiva nas discussões.

Uma das iniciativas em andamento é a elaboração da Diretriz de Atenção a Pessoa com estomia. “Este documento será destinado ao profissional de saúde em geral, para que amplie seus conhecimentos para assistir melhor a pessoa com estomia”, afirma Karina.

O Ministério da Saúde também criou um grupo de avaliação da qualidade das bolsas disponíveis no mercado brasileiro. Segundo a representante do MS, o objetivo é aumentar o leque de especificações, estimulando maior concorrência entre as marcas.

Legenda das fotos:

Karina Guimarães (Min. Saúde) visita o estande da Sobest no XII Congresso Brasileiro de Estomaterapia

Reunião no XII Congresso Brasileiro de Estomaterapia (da esq. para dir.): Néria Silveira (Sobest), Karina Guimarães (Min. Saúde),Angela Boccara (presidente Sobest), Eliane Sponton (Sobest) e  Gisele Azevedo (vice-presidente Sobest)

 

 

 

Karina Guimarães também ressaltou a importância da Portaria 1550/2014, que instituiu o “Programa Nacional de Atenção à Pessoa com Deficiência”, que prevê doações com isenção fiscal a entidades filantrópicas que desenvolvam projetos de acessibilidade e pesquisa. Ela admitiu, porém, que o Ministério da Saúde não tem um dado exato sobre quantos são e onde estão os pacientes com estomias no Brasil. Por isso, fez um novo chamamento para a atualização da Portaria 400/2009, que estabeleceu as “Diretrizes Nacionais para a Atenção à Saúde das Pessoas Ostomizadas no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS”, para que as necessidades atuais dos pacientes sejam contempladas.

“Os pacientes ainda necessitam de acesso a alguns equipamentos que não foram contemplados pelo Ministério da Saúde, na portaria 400, além da garantia do número de bolsas coletoras. Por isso, nossa Associação, representando o especialista estomaterapeuta, vai continuar realizando trabalhos importantes de luta e conscientização, especialmente para garantir a qualidade de vida da pessoa com estomia”, afirma a presidente da Sobest, Maria Angela Boccara de Paula.

 

 

Área do Associado